Inter e Grêmio retomam treinos sob pressão do calendário: O que significa o CT alagado e peixe morto

广告位火热招租中
Document

Uma escolinha reunia crianças com sonho de virar jogador de futebol quadras pequenas no Parque Esportivo da PUC-RS na manhã de terça-feira, dia 14. No estádio universitário, logo ao lado, havia fluxo de quem fazia caminhadas e corria pelo local. O cenário foi diferente à tarde, quando o Inter retomou os treinos depois de 12 dias sem atividades devido às enchentes que atingem o Rio Grande do Sul.

PUBLICIDADE

Leia também

  • ‘Não imagino futebol nesse momento. Estamos preocupados em salvar vidas’, diz presidente do Inter

  • Vice-presidente do Grêmio critica CBF por data de reunião: ‘Não entenderam o que estamos passando’

Goleiro Rochet foi um dos jogadores que trabalhou como voluntário no apoio a vítimas das enchentes e retomou atividades com equipe colorada.Foto: Leonardo Catto/Estadão

Inter volta a treinar e, assim como Grêmio, deve deixar RS

Período de retomada de treinamentos até volta dos jogos é visto como uma 'intertemporada' de preparação.Foto: Ricardo Duarte/Inter

Olímpico se torna centro de doações e pode virar heliporto

Atacante Caty trabalha como voluntária carregando doações no antigo Estádio Olímpico.Foto: Leonardo Catto/Estadão

Publicidade

Porto Alegre ainda vive a pior enchente da história do município. O rio Guaíba, que cerca a cidade, chegou na maior cheia já registrada (5,3m). A última cota divulgada na terça-feira estava em 5,22m, enquanto a metragem de inundação é de 3m. A enchente, na capital, contudo, pode ser menor desta vez, já que o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) fez a manutenção das caixas de bombeamento, que escoam água antes de inundar a cidade e falharam na primeira vez. O Rio Grande do Sul tem 149 mortes em decorrência do desastre. A Defesa Civil contabiliza, ainda, 108 desaparecidos. 446 dos 497 municípios foram afetados e 538 mil pessoas foram desalojadas.


Por /


广告位火热招租中