Analistas projetam queda de 10% nas ações da Petrobras: Como proteger seus investimentos Analistas p

广告位火热招租中
```html

Analistas de mercado ouvidos pelo Valor projetam quedas em torno de 10% nas ações da Petrobras na sessão desta quarta-feira (15) depois do anúncio da demissão do presidente da empresa, Jean Paul Prates.

A projeção se baseia em cenários passados de trocas na liderança da companhia. Os analistas ouvidos não descartam que haja outras demissões de membros da diretoria da estatal.

Ainda que o nome de Magda Chambriard, apontada como substituta por Lula para suceder Prates, seja alinhado ao setor, a expectativa é que ela traga um olhar mais voltado ao desenvolvimento da indústria nacional.

Expectativas sobre a nova presidente

Na avaliação de um especialista, o desempenho de Chambriard na presidência da Petrobras vai depender de como ela irá navegar no ambiente político.

Impacto da decisão de demitir Prates

Na avaliação da Ativa Investimentos, a decisão de demitir Prates é negativa e deixa os compromissos da companhia, como remuneração a acionistas e planos de investimentos, sob reavaliação.

"Prates desempenhava um bom papel, equilibrando os interesses econômicos e políticos da empresa com sabedoria", disse a corretora em comentário.

Repercussões na teleconferência de resultados

Ilan Arbetman, analista da Ativa, afirma que não se esperava uma sucessão por agora, mas, na teleconferência de resultados da tarde desta terça-feira (14), foi possível perceber um tom mais "pró-mercado" do que vinha sendo ouvido pela diretoria da Petrobras.

"Acreditou-se que com a ajuda de Haddad [Fernando Haddad, ministro da Fazenda], Prates tinha vencido a queda de braço. Parece que a vitória foi efêmera. Trata-se de uma reviravolta", disse o analista.

Análise das possíveis mudanças

"Aguardaremos novas notícias, mas por ora, vale destacarmos o caráter negativo desta decisão, que ratifica o maior risco político da empresa e nossa recomendação apenas neutra para as suas ações."

Gustavo Cruz, estrategista-chefe da RB Investimentos, salientou que o último ano foi um teste para a governança da Petrobras em diversos aspectos, sendo que parte das diretrizes da empresa foi mantida.

Mudança no comando da estatal

"A respeito da substituição em si, ainda não há uma compreensão clara das mudanças que serão implementadas", disse Cruz. Ele salientou que a nomeação de Prates trazia uma expectativa de que mudanças substanciais na gestão e no foco estratégico fossem promovidas, o que não se concretizou.

Na avaliação de João Coutinho, economista e diretor da RJ+Asset, a mudança no comando da estatal indica que o presidente Lula claramente busca uma empresa mais servidora ao Estado. Ele ressaltou a boa aceitação do nome de Prates pelo mercado e avaliou que o movimento anunciado no fim da noite desta terça-feira (14) não agradará aos investidores.

Reação do mercado

Para Frederico Nobre, chefe de análises da Warren Investimentos, o nome de Magda Chambriard pode trazer uma reação negativa do mercado: "Ela já criticou a distribuição de dividendos da Petrobras, tem um viés mais desenvolvimentista." Segundo o analista, a própria troca em si, que gerou surpresa, traz insegurança para a estatal.

Ações da Petrobras devem reagir mal à mudança de comando da companhia — Foto: Getty Images
Ações da Petrobras devem reagir mal à mudança de comando da companhia — Foto: Getty Images
Another relevant image
Another relevant image

"Ações da Petrobras devem reagir mal à mudança de comando da companhia — Foto: Getty Images

```


Por /Kariny Leal e Fábio Couto


广告位火热招租中